Dicas para sua moto

Moto de trilha: saiba como escolher a que mais combina com você!

/
11 0
moto-de-trilha

Comprar uma moto costuma ser um momento entusiasmante para muitos proprietários, sobretudo entre aqueles que fazem uma aquisição voltada à prática de algum hobby. Com isso em mente, elaboramos este conteúdo, em que detalhamos os principais critérios para a escolha de uma moto de trilha.

Dessa maneira, garantimos que você esteja bem informado no momento da compra, identificando o modelo mais compatível com sua rotina. Sendo assim, não perca a oportunidade de descobrir mais sobre o assunto, ficando mais perto dessa conquista. Acompanhe!

Diferenças entre motocross, trilha e enduro

Em um primeiro momento, o proprietário deve entender a necessidade básica da moto de trilha. Pensando nisso, reunimos as três principais modalidades no tema, destacando suas características para facilitar seu processo de decisão. Basicamente, as principais diferenças se concentram em questões como o tipo das pistas, as especificações das motos e o nível dos eventos. Dê uma olhada!

Motocross

Começamos pelo motocross, que é, antes de qualquer coisa, uma das duas modalidades mais conhecidas no universo do motociclismo — estando junto com a motovelocidade em nível de popularidade. Tecnicamente, o motocross pode ser resumido a uma palavra: competitividade.

Nessa categoria, as baterias são realizadas com tom de competição, em circuitos devidamente fechados e sinalizados para a realização do evento. Para além desse detalhe, as motos do motocross seguem o mesmo DNA competitivo, sendo equipadas com suspensões reforçadas e motorizações especiais.

Em resumo, os modelos autorizados a essa modalidade exigem muita expertise do piloto em questão. Afinal de contas, trata-se de motos com alta aceleração, demandando feeling e familiaridade com a mecânica do veículo e as variáveis presentes na pista, como as reações causadas por elementos como umidade, lama, areia e pedregulhos no comportamento da moto.

Enduro

Em um segundo momento, temos a modalidade enduro. O nome se origina do termo inglês endurance, que remete à capacidade de resistência atlética e técnica do motociclista. Nesse sentido, os eventos de enduro compartilham do mesmo DNA competitivo do motocross, sendo uma prática voltada aos pilotos mais experientes.

Já quando falamos das motos, elas se diferenciam daquelas vistas no motocross, principalmente em matéria de suspensão, que abandona a rigidez para equipar kits mais macios — que possibilitam uma condução mais agradável ao longo da prova. Evidentemente, o excesso de conforto é oposto a robustez. Mas aqui é importante notar que as provas de enduro não incluem os saltos violentos praticados durante um percurso de motocross.

Trilha

Por último e mais importante, temos a modalidade que é a porta de entrada para todos os iniciantes: as trilhas. Aqui, temos uma comunidade altamente aberta, com eventos organizados por clubes de amigos e entusiastas. Ainda que existam trilhas com um toque de competição, a boa maioria delas serve como uma aventura mista de passeio, velocidade, paisagem e diversão.

Por conta disso, a trilha é a modalidade menos exigente ao proprietário de primeira viagem e pede uma moto bem mais acessível do que a do motocross, por exemplo. No entanto, nada impede que o entusiasta participe de trilhas com motos de enduro — já que isso tende a melhorar a experiência do piloto, reduzindo seus tempos e aprimorando sua condução.

Principais critérios durante a escolha de uma moto de trilha

Agora, migramos para um tópico fundamental antes da compra. Diferentemente do que faríamos em um conteúdo de motos para o dia a dia, aqui não incluiremos o fator planejamento, ainda que seja importante para a compra de uma moto como essa. No entanto, focamos em apenas três pontos essenciais dessa escolha, estimulando a decisão correta. Veja!

Finalidade

Antes de qualquer coisa, você precisa analisar seu perfil de usuário no convívio com essa moto. Para tanto, você pode começar se questionando em qual modalidade gostaria de participar. Logo aqui, você já restringe consideravelmente o número de opções disponíveis no mercado, filtrando as alternativas possíveis.

Mas, para além da modalidade, você precisa avaliar o papel dessa moto no seu cotidiano. Se essa compra representa o único veículo disponível para o dia a dia, será crucial escolher uma moto de uso misto, que esteja autorizada a rodar tanto nas trilhas como nas estradas.

Inclusive, esse é um detalhe que pode parecer óbvio, mas que acaba pegando de surpresa os compradores mais desavisados. Afinal de contas, as motos de competição vêm completamente descaracterizadas, sem elementos importantes e obrigatórios para o trânsito brasileiro, como piscas e faróis.

Experiência

Apesar de extremamente divertidas, motos não são brinquedos. É fundamental que o proprietário entenda o comportamento dinâmico de seu veículo, agindo com previsibilidade e segurança durante um deslocamento, seja nas pistas ou no trânsito. Por conta disso, a experiência deve ser levada em consideração.

Ainda que nada te impeça de migrar de uma moto de 100 cc para uma de 450 cc, é importante notar que essa pode ser uma atitude imprudente, com a própria saúde e a de terceiros. Além disso, o desejo por velocidade pode ser conquistado na medida em que você estiver pronto para essa experiência.

Afinal de contas, mesmo a linha de entrada para motos off-road já conta com modelos com mais de 200 cilindradas, que, alinhadas ao baixo peso, resultam em um veículo ultraleve, com aceleração explosiva.

Orçamento

Por fim, a questão econômica. Independentemente da sua paixão pelo tema, você não pode prejudicar suas finanças para a manutenção de um hobby. Por conta disso, leve esse ponto em consideração, inclusive, lendo nossos artigos em que ensinamos como economizar para comprar uma moto. Então, com a devida dose de planejamento e paciência, você conseguirá conciliar o sonho com a segurança financeira, sem prejudicar nenhuma dessas áreas na sua vida.

Diferentes tipos de motos de trilha

Agora, chega o momento de discutir um ponto complementar à finalidade da moto. Como você aprenderá abaixo, existem pelos menos cinco diferentes tipos de motos de trilha. Entre essas categorias, podemos segmentar dois grupos: as de utilização exclusiva e as mistas. Entenda!

Asfalto e trilha

Vamos começar por uma categoria mista. Com toda certeza, esses são os melhores modelos para quem está engatinhando nesse universo. Assim como sugere o nome da categoria, essas motos estão adequadas para rodarem no trânsito e nos track-days dos seus fins de semana.

Com isso, você consegue conciliar seu passatempo com a necessidade de deslocamento urbano, sem se sujeitar a multas e infrações por conta de um veículo irregular. Estando na base da pirâmide, esses são os modelos mais acessíveis e, geralmente, equipam motores entre 125 e 250 cilindradas cúbicas.

Trilha

As motos de apenas trilha aliam duas características muito atraentes aos entusiastas do segmento. Como passam por um processo de descaracterização, perdendo uma série de equipamentos convencionais, esses modelos entregam um alto custo-benefício.

Aqui, o importante é que o proprietário esteja ciente de que não poderá trafegar com o veículo, que só poderá ser deslocado embarcado, sobre uma caminhonete, caminhão ou afins. Para compensar a retirada de itens de conveniência, as montadoras capricham no retrabalho da suspensão, prolongando seu curso e realizando outros ajustes finos no conjunto mecânico — equipando motores entre 200 e 250 cc.

Enduro e trilha

Já aqui temos um segmento bastante versátil e adorado pelos entusiastas. Pois veja, essa é uma categoria tanto de uso misto como exclusivo. Originalmente, esse é o grupo dedicado às motos de enduro, com suspensões macias e motorizações vigorosas que podem alcançar até mesmo as 650 cilindradas.

No entanto, nada impede o proprietário de utilizar essas motos nas trilhas. Além disso, por ser uma categoria de transição, muitos consumidores optam por comprar uma moto desse grupo, já reconhecendo a vontade futura de participar dos eventos de enduro.

Ainda assim, tornamos a frisar a importância da experiência do piloto na escolha da moto, sendo irresponsável a aquisição de um modelo com motorização de topo (450 cc para cima) sem ter o tempo de pista adequado para isso.

Motocross

Agora, retornamos para o universo das exclusivas. Tecnicamente falando, as motos de motocross são uma homenagem ao minimalismo, pois descartam todo tipo de recurso ou componente que não seja fundamental à performance nas pistas, tal como uma boa parte de itens de conveniência e funcionalidade, como a partida elétrica.

Essas motos são absurdamente leves, aliando o peso de uma mosca à agilidade de uma águia. É por conta dessa combinação extraordinária que os atletas conseguem atingir velocidades extremas, realizar saltos, manobras e deslocamentos afins. Naturalmente, esses modelos também equipam motores parrudos, que despejam um torque violento sobre as rodas a cada aceleração.

Rally

Por fim, temos o Monte Olimpo das motocicletas. Em essência, as motos são desenvolvidas com duas qualidades em mente: durabilidade e sofisticação. Afinal de contas, esses modelos estampam ao mundo toda a tecnologia que as montadoras conseguem embarcar sobre duas rodas.

Inclusive, a importância publicitária dessas motos é tamanha que elas são grandes influenciadoras de venda, por conta de eventos mundiais como o Rally Dakar. Por ser o absoluto suprassumo da competição fora de estrada, são os modelos mais caros do segmento. Já mecanicamente, essas motos concentram três qualidades vitais:

  • motorização potente para entregar os melhores tempos;
  • tanque de alta capacidade para oferecer grande autonomia;
  • fácil reparabilidade, facilitando a manutenção durante a prova.

Modelos ideais para iniciantes

Então, considerando todos os pontos levantados até agora, compilamos uma lista com alguns modelos Honda que são perfeitos para os entusiastas que pretendem iniciar nesse universo. Veja só!

Honda CRF 230F

Basicamente, a CRF 230F é a porta de entrada da montadora para os trilheiros de primeira viagem. Tratando-se de categoria, a CRF 230F é uma moto de uso misto para estradas e trilhas, estando completamente regular para a circulação no trânsito. Suas características:

  • motorização: 230 cilindradas, 19,3 cv de potência e 1,92 kgf.m de torque;
  • transmissão: 6 velocidades;
  • distância do solo: 30,5 cm;
  • altura do banco: 87,8 cm;
  • peso: 108 kg.

Honda CRF 250F

Logo em seguida, temos a evolução de espírito do modelo anterior. A CRF 250F segue o mesmo DNA, enquanto recebe um incremento no seu conjunto mecânico, que fica ainda mais agressivo para a realidades das trilhas. Assim como a “irmã menor”, trata-se de uma moto de uso misto que pode circular nas estradas. Seus detalhes:

  • motorização: 250 cc, 22,2 cv e 2,28 kgf.m;
  • transmissão: 5 velocidades;
  • distância do solo: 28,6 cm;
  • altura do banco: 88,3 cm;
  • peso: 114 kg.

Honda CRF 250R

É a partir desse ponto que atravessamos uma linha para o universo das exclusivas. Como você pode notar na descrição técnica, apesar de a CRF 250R ter as mesmas 250 cilindradas, esse modelo entrega quase o dobro da potência da CRF anterior, além de ter 9 kg a menos de peso seco. Assim como as demais CRFs da linha R, trata-se de uma exclusiva para o motocross. Veja:

  • motorização: 250 cc, 44,2 cv e 2,86 kgf.m;
  • transmissão: 5 velocidades;
  • distância do solo: 32,7 cm;
  • altura do banco: 95,7 cm;
  • peso: 103 kg.

Honda CRF 250RX

Então, temos um produto originado sobre a base da CRF 250R. Essencialmente, o modelo RX agrega as características necessárias para uma moto de enduro, integrando suspensão de ajuste macio, elementos de partida elétrica, tanque de combustível com capacidade aumentada e outras características afins. Como todo modelo de enduro, também pode ser utilizada nas trilhas, mas nunca nas estradas. Confira:

  • motorização: 250 cc, 44,2 cv e 2,86 kgf.m;
  • transmissão: 5 velocidades;
  • distância do solo: 32,9 cm;
  • altura do banco: 96,1 cm;
  • peso: 105 kg.

Honda CRF 450R

Como se pode ver, trata-se de um modelo R e, portanto, desenvolvida para o motocross. Essa CRF 450R obedece aos padrões de criação de uma boa moto de motocross, eliminando todo tipo de elemento descartável para a performance e entregando uma legítima moto de competição: veloz, agressiva e superleve. Seus detalhes:

  • motorização: 450 cc, 64,7 cv e 5,47 kgf.m;
  • transmissão: 5 velocidades;
  • distância do solo: 32,8 cm;
  • altura do banco: 96 cm;
  • peso: 108 kg.

Honda CRF 450RX

Em essência, é o mesmo modelo que a CRF anterior, porém com ajustes e soluções mecânicas e de suspensão que a tornam compatíveis com eventos de enduro, tal como acontece entre as CRFs 250R e 250 RX. Compare as características da 450RX:

  • motorização: 450 cc, 64,7 cv e 5,47 kgf.m;
  • transmissão: 5 velocidades;
  • distância do solo: 32,8 cm;
  • altura do banco: 95,9 cm;
  • peso: 110 kg.

Honda CRF 450X

Por fim, encerramos com a única motocicleta exclusivamente da linha X. Como padrão, esse lineup é caracterizado por modelos com alta resistência mecânica, tecnologias embarcadas e fácil reparação, sendo, portanto, um projeto compatível às expectativas de quem pretende competir em um evento de rally. Veja:

  • motorização: 450 cc, 46,6 cv e 4,68 kgf.m;
  • transmissão: 6 velocidades;
  • distância do solo: 33,3 cm;
  • altura do banco: 96,3 cm;
  • peso: 119 kg.

Principais fatores para uso das motos de trilha

Mas, afinal de contas, quais são os fatores que realmente impedem o proprietário de circular com uma moto de trilha? Esse é o tipo de curiosidade que abordaremos a seguir. Acompanhe!

Emplacamento

O primeiro detalhe a se prestar atenção é a obrigatoriedade do emplacamento. Por mais que essa motocicleta não possa trafegar nas estradas brasileiras, ela ainda configura um tipo de veículo automotor, sujeito ao pagamento de IPVA e tributos afins.

Impedimento

Então, também é importante entender a razão pela qual os veículos exclusivos de trilha, motocross, rally ou enduro não podem trafegar no trânsito: basicamente, por serem descaracterizados, sem equipar faróis, molduras para a placa, piscas, lanternas e demais atributos fundamentais à sinalização.

Equipamentos de segurança necessários

Já aqui, temos outro ponto crítico para o entusiasta. Afinal de contas, muitas são as vezes em que o ânimo supera a racionalidade, fazendo com que o piloto se esqueça da importância dos equipamentos de segurança antes de pegar a estrada.

Sendo assim, é fundamental considerar a compra desses acessórios, inclusive, incluindo-os no planejamento financeiro para a aquisição da moto — já que em boa parte das vezes esses itens podem ser agregados ao valor total do financiamento.

Capacete

Diferentes dos capacetes urbanos, os modelos projetados para o off-road recebem reforços estruturais e desenhos mais inteligentes, entregando melhor circulação de ar, melhor fixação à cabeça do piloto, viseiras com melhor visibilidade e aplicação de camada oleofóbica, evitando acúmulo de líquidos que possam atrapalhar o campo de visão.

Camisa

Baterias de trilhas, enduro e motocross são altamente intensos do ponto de vista energético. Por conta disso, é importante que os pilotos contem com camisas especiais para a respiração do corpo, garantindo uma boa manutenção térmica do tronco e evitando o desconforto em momentos críticos da prova.

Colete

Sobre a camisa, a proteção bruta e adicional do colete. O objetivo desse item é reforçar a segurança da caixa torácica do atleta, diminuindo a probabilidade de lesões internas ou perfurações a órgãos vitais. Assim como o capacete, o colete é um dos acessórios mais fundamentais na preservação de vidas no esporte.

Cotoveleiras

Os cotovelos são pontos de apoio fundamentais na biomecânica do nosso corpo. Esse é um detalhe importante de se observar, pois, devido à posição externa e pronunciada, os cotovelos serão um dos primeiros a se chocar durante uma queda.

Isto posto, as cotoveleiras oferecem uma camada adicional à proteção dessa região corporal, dificultando perfurações, arranhões, quebras e demais danos, sejam eles superficiais ou profundos.

Joelheiras

Em essência, cumprem a mesma função das cotoveleiras, mas na região das pernas, protegendo a articulação dos joelhos. Sendo assim, esse é o outro item no qual não se deve economizar, mas sim empregar o recurso necessário para garantir a integridade física do piloto durante e após a prova.

Luvas

Por fim, temos um item que não somente oferece proteção, mas também funcionalidade. Além de proteger as mãos contra pedras, arranhões e outros, as luvas impedem que o suor das mãos prejudique a aderência na ativação dos comandos de aceleração, embreagem e freio.

Melhores dicas para iniciantes

Para finalizar, chega o momento de conhecer algumas boas práticas para seu bem-estar nas trilhas. Como perceberá abaixo, essas dicas vão muito além dos cuidados básicos com a moto, sendo na realidade conselhos pontuais sobre o hobby em si. Confira!

Preste atenção ao seu posicionamento

Logo de início, é importante que se entenda: a pilotagem de motos de trilha não é como a das motos convencionais. Nas pistas, você estará lidando com irregularidades a todo momento, o que exige uma manutenção constante do próprio equilíbrio sobre o dorso da moto.

Normalmente, a posição mais confortável para se conduzir em trilhas é estando em pé, com os joelhos sutilmente flexionados, enquanto as batatas da perna pressionam o corpo da moto com firmeza. O seu tronco deve ficar levemente inclinado sobre o guidão, além dos cotovelos flexionados e despontados para cima.

No fim das contas, esse é o ajuste corporal que entrega o melhor tempo de reação a qualquer circunstância que aconteça na pista, pois todo o corpo está continuamente tensionado e atento à necessidade de qualquer ajuste, seja na redistribuição do peso sobre o eixo traseiro ou frontal, ou nas eventuais, mas importantes inclinações laterais.

Tenha companhia

Muito provavelmente você já viu um grupo de motociclistas cruzando a vastidão de uma rodovia com suas motos touring, seja na vida real ou em alguma referência pop do cinema ou publicidade. Basicamente, essa é a finalidade prática dos motoclubes — oferecer uma reunião amigável de entusiastas, estimulando o hábito de viajar de moto.

Algo semelhante acontece na comunidade de trilheiros, mas com uma importância ainda maior. Afinal de contas, você pode cair, se machucar ou ter um problema mecânico no meio da trilha. Estando sozinho, você fica vulnerável às condições do tempo, da sua capacidade de reparo ou, no pior dos casos, da gravidade dos ferimentos.

Fique tranquilo

Existe um medo relativamente comum entre os iniciantes: o pavor de não conseguir dar conta da prova. Mas aqui é importante que você entenda que não há nada de errado nisso. Atualmente, a comunidade é bastante amistosa e didática, bastando que você manifeste suas dúvidas e peça para ser ensinado.

Afinal de contas, uma das partes mais bacanas das trilhas é compartilhar o aprendizado, não somente superando os obstáculos sozinho, mas ensinando àqueles que não sabem como é possível superá-los.

Outro ponto comum é que você se canse mais rápido do que os outros, pois não estará com os troncos, braços e pernas habituados a lidar com a aplicação periódica de força — que é continuamente importante para a manutenção do equilíbrio e do direcionamento da moto.

Escolha a moto certa

Esse é um critério tão importante que não faz sentido ignorá-lo. Enquanto iniciante, você precisa se reconhecer nessa posição, mesmo que já pilote uma moto cotidiana com mais de 500 cilindradas. É fundamental entender que as motos de trilha são completamente diferentes das convencionais, com uma aceleração muito mais vigorosa. Por isso, é interessante fazer o test ride e priorizar os modelos de base, com 230 ou 250 cilindradas.

Por fim, vale notar que as trilhas são uma excelente válvula de escape para o estresse da vida urbana. Dentro do percurso, sua única preocupação é superar o próximo obstáculo, esvaziando a mente de todos os estresses pessoais e profissionais que acompanham o dia a dia. Mas, ainda assim, é fundamental que você enxergue esse hobby com extremo respeito e responsabilidade.

Agora que você conhece bem as características de uma moto de trilha, chega o momento de se aproximar dessa conquista. Para tanto, não perca tempo com outras páginas e entre em contato com a nossa equipe, conhecendo como as soluções Honda podem alavancar esse entretenimento na sua vida!

Posts Relacionados
/

Comprar uma moto costuma ser um momento entusiasmante para muitos proprietários, sobretudo entre aqueles que fazem…

0 0
/

Comprar uma moto costuma ser um momento entusiasmante para muitos proprietários, sobretudo entre aqueles que fazem…

0 0
Leave a Reply

Your email address will not be published.