Dicas para o Motociclista

Conheça 4 modelos de Scooter Honda e seus benefícios

/
4 0
conheca4modelosdescooterhonda

Que as motos são veículos econômicos você já sabe, não é mesmo? No entanto, existe uma categoria que é desenvolvida justamente para aqueles que querem ainda mais economia. Você é uma dessas pessoas? Bem, então você precisa conhecer uma scooter Honda!

No passado, eram carinhosamente apelidadas de lambretas, mobiletes ou motonetas, sempre em uma alusão direta à agilidade e leveza da sua condução. Hoje, esses modelos seguem liderando os rankings de venda, convencendo os consumidores de todos os tipos a aproveitarem suas vantagens.

Sendo assim, elaboramos este post especial sobre o tema! Aqui, você aprenderá tudo o que há para saber sobre essas motos, entendendo o que elas são, como se diferenciam dos outros modelos e, até mesmo, como selecionar a scooter ideal para o seu dia a dia. Então, não perca tempo e nos acompanhe nesta leitura!

O que são scooters?

De maneira resumida, podemos definir as scooters como veículos ultra econômicos, resistentes e com boa capacidade de carga. Tradicionalmente, são fáceis de pilotar e seu motor costuma ficar na parte traseira. Outra característica marcante é a posição da pilotagem, que é ereta, com os pés sobre o assoalho.

Apesar dessa descrição resumir bem o DNA de uma scooter, ainda podemos falar mais um pouquinho. Pois veja, uma grande particularidade dessa categoria é que seus modelos são desenvolvidos para entregar versatilidade e comodidade no cotidiano do motociclista.

Nesse sentido, é justo dizer que as scooters são projetadas para fazer a vida do dono mais fácil, divertida e flexível. Em comum, esses modelos sempre entregam um pacote funcional de equipamentos, com a implementação de boas soluções de engenharia mecânica e eletrônica para simplificar a pilotagem.

Quais os principais tipos de scooters?

Com o passar dos anos, as scooters foram ganhando predominância no mercado brasileiro. Hoje, apesar de não existirem subdivisões reais dentro da categoria, muitos entusiastas segmentam a modalidade em três seções. Veja só!

As quase scooters

Essa é categoria mais curiosa de todas, em que entram as motos que estão em uma área cinzenta, em que o desenho sugere ser uma scooter, mas sua funcionalidade real entrega que esse não é o caso. Aqui, falamos especificamente de modelos como a Honda Pop 110i, Biz 110i e Biz 125.

Em comum com as scooters, todas são econômicas, leves e ágeis, além do próprio desenho que sugere uma postura de condução mais ereta. No entanto, elas dispensam elementos fundamentais à categoria, como a transmissão automática e o assoalho para os pés.

As pequenas ágeis

Já aqui, entramos em um terreno de legitimidade. As scooters pequeninas representam a grande fatia do consumidor brasileiro, pois são motos com motores entre 125 e 300 cm³. Por conta disso, entregam uma eficiência energética, consumindo pouquíssimo combustível para os deslocamentos.

Além disso, estão posicionadas na ponta mais acessível das faixas de preço, sendo uma escolha popular entre consumidores jovens, com um público bem diverso, conquistando homens e mulheres, estudantes e profissionais que buscam uma moto divertida de guiar, fácil de manter e acessível de comprar. No Lineup Honda, destacamos exemplos como a Elite 125, PCX 150 e SH 150i.

As grandes funcionais

Mas e para aqueles que buscam mais? Bem, é aqui que adentramos no universo das scooters tecnológicas. Essa divisão reúne os modelos mais engenhosos das montadoras, oferecendo muita modernidade, conveniência e praticidade. Naturalmente, são veículos mais caros, mas todos com muita personalidade. Alguns exemplos são a Honda X-ADV e a SH 300i.

Por que scooters são especiais?

Para os entusiastas das scooters, dizer que esses modelos são simples motos é um pecado capital. Embora a definição exata ainda não seja clara para a maioria, podemos afirmar que as scooters são realmente diferentes dos modelos convencionais, como as urbanas (CGs), esportivas (CBs) e tourings (GLs). Em nossa visão, as principais diferenças são:

  • as motos tradicionais têm câmbio com trocas feitas pelo pé, já as scooters equipam transmissão automática de variação contínua, a tecnologia CVT;
  • as tradicionais têm embreagem, as scooters não;
  • as tradicionais têm pedais, as scooters, assoalho;
  • as tradicionais têm suspensão mais longa, enquanto as scooters são mais baixas.

Quais os 7 benefícios de ter uma scooter Honda?

Agora, vamos a pergunta do momento. Afinal de contas, essa é uma curiosidade comum para muitos motociclistas, principalmente àqueles que já possuem uma moto de outra categoria, geralmente urbana ou naked. Então, saiba agora as principais vantagens desse modelo!

1. Agilidade no trânsito

Ainda que a flexibilidade no trânsito seja um elemento universal para todas as motos, é nas scooters que essa qualidade ganha ainda mais destaque. Pois veja, essas motos têm uma enorme vantagem a seu favor, pois suas dimensões costumam ser absurdamente pequenas.

Então, imagine. Você está pilotando uma moto superleve, curta e com baixo centro de gravidade — justamente pelo fato de serem mais baixas. Além disso, você ainda conta com outro bônus, a postura de pilotagem ereta. Com a soma desses fatores, se têm como resultado uma moto absolutamente fácil, segura e confiável de pilotar.

2. Economia de combustível

Novamente, uma característica universal das motos, mas que brilha ainda mais entre as scooters. Aqui, a justificativa é bastante lógica, ainda mais do ponto de vista da física e da mecânica. O primeiro ponto é por uma questão de arrasto. Scooters normalmente equipam pneus menos largos. Com a menor superfície de contato, a moto sofre menos resistência da estrada e se desloca de maneira mais econômica.

O segundo ponto é justamente a resistência do vento. Por serem menores, tendo menos matéria para lutar contra o vento, essas motos fluem com mais facilidade — sobretudo se compararmos com modelos tradicionalmente volumosos e pouco aerodinâmicos, como choopers e tourings.

Por último, um fator crítico do deslocamento de massa. Scooters são leves e equipam motores de baixa-média cilindrada. O resultado da equação é uma moto absolutamente econômica, que tem tudo a seu favor para registrar médias de consumo que superam facilmente os 50 km por litro.

3. Pilotagem

Ao contrário das motos, que possuem tanque de combustível entre as pernas, as scooters têm reservatório abaixo do assento. Isso muda um pouco o jeito de pilotar, pois não será possível usar a pressão das pernas no tanque para fazer curvas. Além disso, elas praticamente não possuem freio-motor e o uso dos freios precisa ser mais constante.

4. Sustentabilidade

Já aqui, temos um ponto complementar da economia de combustível. Afinal, o fato de o consumo ser menor já é um indicativo de que o veículo emite menos partículas nocivas à atmosfera, justamente por um processo de combustão mais eficiente e preciso.

5. Tamanho das rodas

Quanto menor a roda, maior a sensibilidade às condições da pista. Isso faz também com que a proximidade do chão seja maior, o que facilita a pilotagem e aumenta a sensação de segurança. As scooters possuem essa vantagem, pois suas rodas têm menor diâmetro, geralmente em torno de 15 polegadas.

Devido à maior sensibilidade, deve-se ter mais cuidado com buracos no asfalto. E nem é preciso dizer que as scooters não foram feitas pensando em estradas de chão, não é? Uma exceção a isso é a X-ADV como veremos adiante.

6. Frenagem

Aí vai uma dica importante para quem pilotar uma scooter: não se usa o freio dela do mesmo jeito que uma moto! Em motos, a distribuição de peso na parte traseira e dianteira é equilibrada. Isso faz com que boa parte do peso na hora da frenagem vá para a roda da frente. Assim, o freio mais usado é o dianteiro. Na scooter o peso se concentra atrás. Por isso, o freio mais requisitado deve ser o traseiro.

7. Confiabilidade

Ainda que seja uma característica tradicional à modelos Honda, precisamos destacar a confiabilidade mecânicas das scooters dessa marca. Afinal de contas, são os modelos da montadora japonesa que desmistificam os receios com as transmissões automáticas, já que todos os modelos são altamente robustos e com baixa necessidade de manutenção.

Qual o segredo do sucesso das scooters Honda?

Antes de qualquer coisa, um fato: as motos da Honda são as mais vendidas do Brasil! Para confirmar isso, basta conferir o ranking da Fenabrave. No geral, os modelos dessa montadora são as prediletas por conta de sua longa durabilidade, baixo valor de manutenção e alto poder de revenda.

Com as scooters, isso não seria diferente! Mas para além de toda a confiabilidade mecânica da marca japonesa, o grande trunfo desses modelos é oferecer o legítimo design Honda, com linhas cativantes e que homenageiam a modernidade e o futuro. Além disso, as scooters estão carregadas de tecnologia mecânica e eletrônica, conquistando até mesmo os entusiastas geeks que decidem se enveredar no mundo das motocicletas.

Quais os principais modelos de scooter Honda?

Por último e também importante, o fator diversidade. Afinal, existe um modelo certo para todo tipo de perfil e orçamento. Mas aqui, reunimos apenas os quatro principais modelos do lineup Honda, garantindo que você conheça as motos que fazem a boa fama desse segmento. Veja!

1. PCX

Vamos começar falando da campeã de vendas brasileira na categoria. A PCX é a queridinha do público feminino. Contudo, o desempenho da moto faz com que os rapazes gostem muito do modelo também.

Ela tem 3 versões e cada uma possui características marcantes em comum. O conjunto óptico frontal dela é composto de para-brisa, farol e carenagem superior, dando um ar futurista e imponente. Ela possui freio ABS que evita o travamento das rodas em frenagens bruscas.

A PCX foi a primeira moto do Brasil com o Idling Stop. Ele é um sistema econômico, inteligente e menos poluente que desativa o motor quando ele está em marcha lenta por mais de 3 segundos. Ao acelerar novamente, o propulsor é acionado.

Não contente com tudo isso, a Honda decidiu melhorar ainda mais com a tecnologia Smart Key, que permite ligar a moto apenas com a chave no bolso. Somado a isso, ela ainda tem transmissão automática do tipo V – MATIC.

2. SH 300i

Para quem precisa de uma scooter mais feroz na estrada, a SH 300i é uma opção excelente. Beirando as 300 cilindradas e com um sofisticado para-brisa, ela não deixa ninguém na mão e oferece proteção contra chuva, vento e poeira.

Ela tem transmissão CVT, que ajuda a economizar ainda mais combustível. E assim como a PCX, ela também possui o sistema Smart Key e uma tomada de 12 volts para carregar smartphones enquanto pilota. Um luxo, não é mesmo? Não é por menos que ela conquistou o Moto Premium Brasil em 2018.

3. Elite 125

Mesmo sendo um modelo mais básico, a Elite 125 tem muitas vantagens. Por exemplo, o câmbio automático da Honda Elite 125, faz com que a pilotagem seja muito mais prática e fácil. Basta acelerar e frear.

Ela tem cavalete central que auxilia na manutenção e permite estacionar de maneira segura em várias superfícies. Para quem faz bastante compras e precisa carregar sacolas, ela possui um gancho ideal para essa função.

Para aumentar a segurança na pilotagem ela vem com o sistema de freios CBS (Combined Brake System). Com ele, a força de frenagem é equilibrada entre as rodas traseira e dianteira. É uma função excelente principalmente no caso de pilotos iniciantes.

4. X-ADV

Quem pensa que potência não é coisa para as scooters, não conhece a X-ADV. Seu motor tem 750 cilindradas, potência máxima de 54,8 cv a 6.250 rpm e torque máximo de 6,93 kgf.m a 4.750 rpm.

Quem gosta muito de viajar de moto vai gostar do apoio para os pés. Além da posição tradicional, a X-ADV dá a opção de estender mais as pernas para pilotar de forma bem mais relaxada.

A X-ADV vem com transmissão DCT com 3 tipos de configuração: 1 manual e 2 automáticas. No manual, a passagem de marchas pode ser feita no próprio guidão, garantindo conforto e praticidade durante a pilotagem. No automático, esse tipo de câmbio também seleciona a marcha ideal conforme a necessidade do terreno. Além de tudo isso, o modo automático sport deixa a scooter ainda mais ágil.

Deixando um pouco de lado a característica de uma scooter, ela possui o sistema HSTC. Ele permite ao piloto escolher dois níveis de controle para percorrer diversos tipos de terreno. Somado a isso, o switch G foi pensado para quem não abre mão de aventura. É uma tecnologia que aumenta a capacidade off-road da X-ADV.

Como escolher a sua primeira scooter?

Já aqui, é importante pensar sobre alguns critérios ao momento de escolher a moto ideal. O primeiro é um aspecto determinante na decisão de boa parte dos brasileiros: o orçamento.

Pois veja, a moto ideal não é aquela em que você se arrebenta para pagar, mas sim o modelo que torna a sua vida mais fácil e divertida. Por isso, é interessante analisar todo o catálogo da montadora. Tome a Honda por exemplo. Hoje, temos scooters que vão de R$9 mil até R$60 mil, cada qual com uma proposta diferente para o consumidor.

Sendo assim, concluímos com a seguinte visão: é fundamental que você avalie o modelo que mais agrada durante a pilotagem. É por isso que todas as concessionárias Honda são capacitadas para oferecer a experiência do Test Ride, permitindo que o próprio consumidor avalie a condução e se encante pelo modelo. Assim, garantimos a satisfação da sua compra.

E aí, gostou de conhecer esses modelos de scooter Honda? Ficou com alguma dúvida sobre alguma dessas motos? Então, nos conte a sua opinião. Deixe um comentário abaixo deste post e ficaremos felizes em respondê-lo!

Posts Relacionados
/

Que as motos são veículos econômicos você já sabe, não é mesmo? No entanto, existe…

0 0
/

Que as motos são veículos econômicos você já sabe, não é mesmo? No entanto, existe…

0 0
Leave a Reply

Your email address will not be published.