Dicas Financeiras

10 motivos para comprar uma moto e ter mais qualidade de vida

/
23 0
comprar-uma-moto

Os anos passam, as pessoas amadurecem e as obrigações se acumulam. A grosso modo, essa é a ordem natural para muitos dos nossos leitores, que com o avanço de suas rotinas, passam a considerar novas soluções para agilizar seus afazeres. Sendo assim, nossa equipe elaborou mais este megapost, em que sobrevoamos os principais motivos para comprar uma moto.

Afinal de contas, as motocicletas têm conquistado a predileção do consumidor brasileiro, que se vê cada vez mais limitado na maneira como se desloca pela cidade. É justamente nesse cenário que as duas rodas surgem como uma solução de ouro a esse público, que não quer abrir mão de suas tarefas por conta dos atrasos e problemas inerentes ao transporte público.

Então, desenvolvemos este artigo de modo a compreender as principais curiosidades do consumidor moderno, em que abordamos os motivos para se comprar uma motocicleta, os aplicativos que facilitam essa convivência, as opções que viabilizam a aquisição e, por fim, as dicas que ajudarão a sua tomada de decisão. Agora, sem mais demoras, acompanhe!

Os 10 principais motivos para comprar uma moto

Sendo um leitor frequente do nosso portal, você bem sabe como gostamos de ir direto ao ponto, atendendo a curiosidade mais aguda aos leitores. Por isso, colocamos este tópico para encabeçar o conteúdo, fazendo com que você compreenda de uma vez por todas as facilidades que essa compra pode causar na sua vida. Veja!

1. Agilidade

Moto e agilidade são quase termos sinônimos. Isso acontece por conta da evidente diferença de tamanho, principalmente quando comparadas aos automóveis. Inclusive, essa mesma comparação pode se estender ao campo do tempo, uma vez que as motos não sofrem com os terríveis congestionamentos das grandes cidades, bastando que o seu piloto percorra cuidadosamente pelo corredor.

Suponhamos que, por conta de engarrafamentos que paralisam o seu ônibus ou automóvel, você gasta cerca de uma hora e trinta minutos, para ir ao seu trabalho, e mais uma hora e trinta para retornar. Com a agilidade de uma moto, esse mesmo trajeto poderia ser realizado em apenas 30 minutos, eliminando a ociosidade no trânsito.

Agora, veja o que isso significaria no longo prazo:

  • 2 horas diárias em que você não passa no trânsito;
  • em uma semana com 5 dias úteis, isso significa um ganho de 10 horas semanais;
  • em um mês com 20 dias úteis, isso significa um ganho de 40 horas semanais;
  • em um ano como 2019, com 255 dias úteis, isso significa um ganho de 510 horas, que correspondem a quase 22 dias inteiros em que você deixa de estar no trânsito.

2. Manutenção

Como era de se esperar, as motos também são populares por conta de sua manutenção facilitada. Isso acontece por uma série de razões, tais como a maior simplicidade do projeto e o menor número de componentes, novamente comparando aos carros. Seja como for, o detalhe mais atraente aos consumidores fica por conta do custo do plano de manutenções, que é acessível o suficiente para incentivar os proprietários a manterem o veículo em perfeitas condições.

3. Consumo

Um fundamento básico da engenharia mecânica é que toda produção de força implica em um custo energético. A grosso modo, quanto maior o esforço, maior o consumo. É justamente por esse princípio que as motos são veículos tão eficientes energeticamente. Pare por um momento e pense nos números de especificação técnica desses veículos.

Como exemplo, temos a popular Biz 110i, que é equipada com um motor que produz 8,33 cv de potência e meros 0,89 kgf.m de torque. Em um primeiro momento, isso pode parecer pouco, ainda mais quando olhamos para as estatísticas dos carros populares que, mesmo com a modesta motorização 1.0, entregam cavalarias acima de 85 cv.

Mas é aqui que entra a fórmula de sucesso das motocicletas! A Biz utilizada no exemplo pesa singelos 97 kg e, nesse caso, precisa apenas ter a força suficiente para a deslocar e a capacidade máxima de ocupantes sobre ela. Em contrapartida, carros populares pesam algo entre 900 kg e 1 tonelada, fazendo com que a maioria de seu esforço não seja ao deslocamento dos ocupantes, mas sim de sua própria carroceria.

No fim das contas, o menor esforço é revertido em menor consumo, com modelos como a Biz atingindo marcas acima de 50 km percorridos com apenas um litro de gasolina, enquanto os carros populares mais econômicos conseguem entregar apenas 15 km dessa autonomia, com a mesma quantidade de combustível.

4. Acessibilidade

Como em um efeito cascata, o menor custo de desenvolvimento e construção também implica em um veículo mais acessível financeiramente. Inclusive, vale lembrar que nessa comparação os carros tomam outra lavada extraordinária, pois mesmo em uma comparação de modelos populares percebemos um abismo de preços. Enquanto a Biz 110i parte de cerca de R$ 8 mil, automóveis “equivalentes” são lançados ao mercado a partir de cifras acima dos R$ 40 mil.

Sendo assim, a etiqueta de preço mais “em conta” acaba privilegiando o amplo grupo de consumidores que não contam com reservas altas para resolver seu problema de deslocamento. Por conta disso, a aquisição da moto acaba sendo facilitada em planos de financiamento ou consórcio, em que ambas as modalidades entregarão parcelas baixas e compatíveis com a renda da vasta maioria da população brasileira.

5. Desvalorização

Estranhou listarmos a depreciação como algo bom? Pois bem, caro leitor, tratando-se motos, até a perda compensa. Primeiro, é importante entender que a desvalorização é um fenômeno de mercado inerente a qualquer bem produzido em larga escala, como motos e carros. Sendo assim, o seu veículo tende a desvalorizar e ponto! A grande sacada aqui é que as motos sofrem com uma depreciação muita lenta, amortecida inclusive pelo seu baixo preço de aquisição e alta rotatividade no mercado de seminovas e usadas.

6. Manuseio

Um dos maiores receios dos consumidores que ainda não aceitaram a ideia de ter uma moto é o medo da condução, que na visão destes, tende a ser imprevisível e com pouca segurança. É justamente aqui que precisamos lembrar da infinidade de modelos no mercado, sobretudo no lineup Honda, com motos projetadas especificamente para os motociclistas novatos, como os modelos das categorias City e Scooter, que possuem uma condução dócil ao aprendizado dos novos pilotos.

7. Autonomia

Esqueça a tabelinha de horários do metrô, ônibus ou qualquer outra solução de transporte público. Afinal de contas, a moto presenteia o proprietário com a oportunidade de decidir o horário dos seus deslocamentos, fazendo com que este aproveite mais do que realmente importa como os momentos de confraternização com amigos e o desenvolvimento acadêmico e profissional.

8. Liberdade

Obviamente que esse motivo não poderia faltar, pois representa a todos os motociclistas de alma livre, que simplesmente apreciam a sensação de pilotar exposto ao ambiente no qual se deslocam. À parte de todas as características positivas em um automóvel, vale lembrar que são raros os carros que oferecem a mesma sensação de liberdade e amplitude ao pilotar uma moto por um belo cenário.

9. Ambientalismo

Aqui, também não existem segredos! Tratando-se de motores à combustão, a queima do combustível sempre resultará na emissão de gases nocivos à atmosfera, que serão expelidos pelo sistema de escapamento do veículo. Como consequência do menor consumo, as motos queimam menos combustível, que por sua vez, resulta em um deslocamento mais amigável ao ecossistema.

10. Qualidade de vida

Por fim, existe o motivo que representa a soma de todos os anteriores. Afinal de contas, reflita conosco e perceba as melhorias emocionais, diretas e indiretas no seu cotidiano, quando você:

  • ganha 22 dias por ano da sua vida para gastar com o que importa, em vez de desperdiçar esse tempo com o estresse do trânsito;
  • economiza muito dinheiro em manutenções, abastecimentos e parcelas para garantir o deslocamento;
  • ganha liberdade ao definir seus horários para ir e vir;
  • e colabora com o meio ambiente.

Os 3 melhores aplicativos para quem anda de moto

Ah, os aplicativos: ferramentas que apresentam um oceano de possibilidades aos desenvolvedores que se inspiram nos desafios da vida cotidiana para elaborar boas soluções. Como não poderia faltar neste conteúdo, pesquisamos e reunimos os melhores apps para os motociclistas. Assim, acreditamos que você conseguirá enriquecer a experiência com a sua moto, ressaltando ainda mais as qualidades que listamos acima. Confira!

1. Waze

Para inaugurar a lista, nada melhor do que uma solução amplamente consagrada pelos usuários brasileiros. O Waze é, basicamente, um aplicativo de navegação que conta com a riqueza de detalhes do database da Google, para expor as melhores rotas, trajetos e soluções aos condutores modernos.

No entanto, esse não é o seu maior destaque. Na realidade, esse app se destaca pela sua rica comunidade de usuários, que contribuem com comentários e notas sobre os trechos, apontando blitz, paradas, acidentes, engarrafamentos e demais situações perigosas ou inconvenientes. Seguido a coerência dessa lista, esse app é gratuito, estando disponível tanto para dispositivos Android como iOS.

2. Rever

Já aqui, temos uma solução que prioriza a comunidade de motociclistas que, para além dos trajetos urbanos, também enxergam em sua motocicleta a oportunidade de exercer uma forma de entretenimento. O Rever oferece um banco de dados riquíssimo na localização e estudo de mais de 3 mil estradas, trilhas e pistas por todo o mundo.

Além disso, o aplicativo também oferece indicadores e acompanhamento da performance dos seus trajetos, cronometrando tempos, registrando distâncias e muito mais, mesmo que você esteja sem sinal de telefonia. Outras funcionalidades importantes são o planejamento de rotas, a navegação interna e a socialização, com a base de usuários da ferramenta que hoje, já é considerada uma rede social de motociclistas. Novamente, gratuito e disponível ao Android e iOS.

3. Reboque.me

Por último e não menos importante, uma solução moderna ao sufoco de muitos, sobretudo àqueles que não contrataram uma apólice de seguro à própria moto. Com essa proposta em mente, os desenvolvedores do Reboque.me criaram esta plataforma mobile que, basicamente, permite que você solicite um reboque com a mesma facilidade com que chamaria um carro por aplicativo. Evidentemente, não é um app de uso diário, mas é uma solução importante para se ter em mãos quando necessário. Ele é gratuito e também está disponível aos dois sistemas operacionais mais populares: Android e iOS.

O enorme leque de opções e possibilidades

Aqui, temos um tópico muito importante e que, por isso, deve ser abordado em suas três maneiras. Afinal de contas, o consumidor em potencial de uma moto precisa saber que a diversidade de opções atende três pontos muito importantes na sua aquisição: a variedade de modelos, condições e modalidades de compra. Vamos lá!

Modelos

Se tem uma coisa que não falta ao entusiasta de motocicletas são opções. Quer um exemplo disso? Pois bem, que tal analisarmos o lineup Honda com esse intuito? No Brasil, a montadora japonesa comercializa 33 modelos diferentes, cada um com uma personalidade própria. Essas mais de três dezenas estão segmentadas em 7 grandes categorias, que atendem todos os perfis do consumidor nacional.

Agora, confira essas divisões:

  1. City, 7 modelos: Pop 110i, Biz 110i, Biz 125, CG 160 Cargo, CG 160 Start, CG 160 Fan e CG160 Titan;
  2. Scooter, 5 modelos: Elite 125, PCX, SH 150i, SH 300i e X-ADV;
  3. Naked, 4 modelos: CB Twister, CB 500F, CB 650F e CB 1000R;
  4. Trail, 6 modelos: NXR 160 Bross ESDD, XRE 190 ABS, XRE 300, CB 500X, NC 750X e CRF 1000L Africa Twin;
  5. Off Road, 7 modelos: CRF 230F, CRF 250F, CRF 250R, CRF 250 RX, CRF 450R, CRF 450RX e CRF 450X;
  6. Sport, 2 modelos: CBR 650F e CBR 1000RR Fireblade;
  7. Touring, 2 modelos: GL 1800 Gold Wing Tour e GL 1800 Gold Wing.

Com uma linha tão extensa e específica, a Honda é capaz de proporcionar uma das maiores ferramentas ao consumidor moderno: o poder da escolha. Inclusive, vale lembrar que, na grande maioria das vezes, esse poder só consegue ser validado por meio da compatibilidade entre o orçamento do cliente e o preço do bem. Novamente, a Honda se destaca, oferecendo ao segmento opções que vão de R$5.906 até R$159.681, cobrados pela Pop 110i e GL 1800 Gold Wing Tour, respectivamente.

Condições

Mas vai que você quer ainda mais opções, flexibilidade e elementos para comparar? Pois bem, é aqui que entra o mercado de seminovas e usadas que, uma vez comercializadas por uma concessionária comprometida com a satisfação do cliente, são acompanhadas pela garantia de que você está fazendo uma compra consciente e bem protegida.

Por isso, aqui vale a pena destacar algumas vantagens de se comprar uma moto seminova:

  • menor custo de aquisição, mesmo que por uma curta diferença de preço com o modelo zero km, uma vez que a desvalorização é lenta e baixa;
  • possibilidade de adquirir um modelo mais antigo, porém mais potente e robusto, a um preço equivalente a uma moto mais simples, mas zero.

Em contrapartida, também vale lembrar os principais destaques da aquisição de uma moto nova, por exemplo:

  • o veículo estará coberto por um extenso período de garantia, que em modelos Honda compreendem três anos de uso após a aquisição;
  • isenção de custos nas primeiras revisões periódicas, tal como os modelos Honda que não exigem gastos com mão de obra nas duas primeiras revisões;
  • você conta com o melhor projeto já desenvolvido para o modelo em questão, sendo, portanto, a moto mais acertada, maleável, potente e confortável de toda sua geração.

Modalidades

Já aqui, devemos lembrar da facilidade de se adquirir uma moto para além do fator óbvio, que é o seu preço. A grosso modo, a aquisição de motos no Brasil é orientada por duas modalidades: o consórcio e o financiamento. Entenda, agora, as características de ambos os modelos.

Consórcio

  • modalidade: formação de grupos com compradores interessados na compra de um mesmo bem;
  • funcionamento: os participantes colaboram com contribuições mensais, coerentes aos valores definidos no contrato, até que sejam contemplados por meio de sorteio mensal, lance estratégico ou quitação do débito;
  • crédito: o consórcio não exige a tomada de crédito para a quitação do veículo;
  • acessibilidade: a modalidade atende aos negativados, desempregados e até mesmo àqueles com baixa renda;
  • retirada: não é imediata, pois depende da contemplação que pode ser rápida, por meio do sorteio ou quitação antecipada, ou demorar todo o prazo do contrato, quando há a quitação total do consórcio.

Financiamento

  • modalidade: consumidor decide comprar o veículo, mas sem o valor integral para o pagamento à vista;
  • funcionamento: o consumidor contrai um empréstimo com uma instituição financeira, que paga a compra e, então, passa a cobrar do proprietário o veículo financiado, conforme os valores estipulados no contrato;
  • crédito: o financiamento exige a tomada de crédito, caracterizada no pagamento da compra pela instituição financiadora;
  • acessibilidade: a modalidade atende apenas os consumidores com nome limpo e renda compatível à compra, com receita líquida três vezes superior ao valor da parcela;
  • retirada: imediata, dependendo apenas da disponibilidade do modelo na loja.

As 4 melhores dicas para ajudar no processo da escolha

Como você perceberá na leitura das dicas, o modelo ideal depende exclusivamente do seu perfil de usuário e consumidor, que é a soma de todos os fatores que podem interferir na sua experiência de compra ou condução. Entenda!

1. Uso

Esse é um critério muito importante, pois reflete sobre o uso que você enxerga nessa aquisição. Por exemplo, você quer essa moto para trabalhar, se deslocar ao trabalho/universidade, fazer trilhas nos finais de semana, ou tudo isso? Seja como for, você precisa responder esse questionamento com sinceridade, filtrando logo de início os modelos que atendam as características que você precisa.

2. Trajeto

Alguns consumidores se desiludem com suas motos porque, inicialmente, fizeram uma escolha precipitada. Um grande exemplo disso é escolher uma moto baixa e enxuta, como as scooters, para trafegar em percursos muito acidentados, como trajetos não pavimentados da zona rural ou trechos de pista com muita irregularidade, tais como buracos e paralelepípedos.

Por conta disso, você precisa atentar aos principais deslocamentos que você realizará, identificando as características desse percurso e priorizando as opções que suportem esse terreno com maior comodidade. Esse é o caso das Trails, que por contarem com uma suspensão mais alta, entregam conforto ao trafegar pelo pavimento nacional.

3. Orçamento

Esse é um ponto que sempre frisamos aos nossos leitores, em uma série de conteúdos educacionais de orientação financeira: você precisa ser responsável e coerente com as suas finanças! Sendo assim, não adianta planejar a aquisição de um modelo, se você não apresenta condições de manter, seja no consumo de combustível, seja no custeio das peças de manutenção.

Antes de tudo, é válido lembrar que nós entendemos o entusiasmo que cerca a aquisição de uma moto entre os consumidores mais jovens, que na grande maioria das vezes, têm fascínio pelos modelos mais esportivos, agressivos e, consequentemente, mais caros. Porém, é fundamental que você foque a sua aquisição em atender o propósito de uso, respeitando o seu orçamento limite.

4. Perfil de condução

Por último e não menos importante, o critério com a maior parcela de responsabilidade na satisfação do cliente. Afinal de contas, precisamos lembrar de que o mercado consumidor brasileiro é muito amplo e, nele, existe uma infinidade de indivíduos com necessidades a serem atendidas.

Há aqueles consumidores que buscam conforto, outros modernidade, desempenho e por aí vai. Por conta disso, você precisa examinar a proposta de cada uma das categorias, encontrando o modelo dentro do segmento que mais se encaixa ao seu perfil, por exemplo:

  • a economia e simplicidade das econômicas Citys;
  • o conforto e conveniência das estilosas Scooters;
  • a esportividade despojada das Nakeds;
  • a aventura urbana das Trails;
  • a alma fora de estrada das Off Roads;
  • a alta performance das Sports;
  • e o luxo absoluto das Tourings.

Com isso, encerramos mais este mega conteúdo fundamental na orientação dos nossos leitores, que atravessam a internet em busca de uma luz que possa ajudar no momento dessa escolha tão importante. Seja como for, essa aquisição deve respeitar o seu orçamento e as suas necessidades individuais para que você evite a decepção de uma compra equivocada.

Gostou deste artigo esclarecendo os principais motivos para comprar uma moto? Sendo assim, não perca tempo e garanta a sua participação em nossa lista de e-mails, recebendo os melhores textos do segmento. Para tanto, basta assinar a nossa newsletter!

Leave a Reply

Your email address will not be published.