Dicas para sua moto

Mecânica de motos: 11 dicas básicas que você precisa conhecer

/
16 0
mecanica-de-motos

Um bem de valor, como um veículo, precisa de cuidados constantes para permanecer em ordem e durar bastante tempo. No entanto, não é necessário ter conhecimentos profundos sobre mecânica de motos para cuidar bem da sua, mas algumas atitudes básicas são essenciais para aumentar a sua durabilidade e identificar problemas logo no início, quando ainda são fáceis de arrumar.

Com as orientações abaixo, com certeza você terá uma motocicleta bem cuidada, segura e bonita. Animou? Então, confira as 11 dicas!

1. TROQUE O ÓLEO NO INTERVALO CORRETO

O motor de uma moto possui diversos componentes móveis, que trabalham em uma velocidade muito grande e com uma distância mínima das partes fixas. Com isso, precisam estar sempre muito bem lubrificadas para que o atrito entre essas peças esteja sempre conforme projetado.

O problema é que um óleo perde a viscosidade ideal com o passar do tempo e com as variações de temperatura que sofre entre o motor desligado e ligado. Portanto, ele deve ser substituído na frequência determinada pelo fabricante da motocicleta, que fez diversos testes para saber até quando o óleo duraria sem necessidade de troca.

A primeira troca deve ser feita aos 1000 km. As seguintes devem seguir o manual do proprietário, pois cada modelo tem um intervalo estabelecido. Tenha o cuidado também de verificar o nível do lubrificante e completá-lo, se necessário. Lembre-se sempre de usar o óleo Genuíno Honda na especificação correta.

2. SUBSTITUA O FILTRO DE AR

Quem conhece mecânica de motos sabe que o filtro de ar funcionando corretamente é essencial para que o motor da motocicleta trabalhe de maneira adequada. A sua função é impedir que impurezas no ar cheguem dentro das câmaras de combustão. Um filtro sujo pode tanto impedir a devida passagem de ar como não conseguir reter a sujeira.

Dessa forma, tenha cuidado com filtro de ar. Alguns são laváveis, outros precisam ser substituídos. Verifique no manual do proprietário os intervalos de tempo e quilometragem adequados para trocar ou lavar o filtro de ar da sua moto. Se for do tipo lavável, basta água e sabão neutro. Depois, aguarde secar para recolocá-lo na motocicleta.

3. ABASTEÇA COM GASOLINA DE CONFIANÇA

Assim como comer mal prejudica nossa saúde, usar combustível de má qualidade faz o mesmo com a moto. De simples “engasgadas” do motor até danos sérios nos componentes internos, esses são alguns dos resultados do uso de combustível inferior.

Como detectar a má qualidade? Veja alguns sinais abaixo:

  • perda de potência;
  • falhas no motor;
  • aquecimento excessivo no motor;
  • trepidação quase a ponto da moto “apagar”.

Se perceber algum desses sinais após abastecer, fique longe desse posto. Normalmente, o combustível de má qualidade é mais barato e, por isso, parece ser uma proposta atraente. Mas os gastos que virão depois com manutenção, com certeza, não compensam a “economia”.

4. CALIBRE OS PNEUS CORRETAMENTE

Manter os pneus calibrados é fundamental para alcançar o máximo em estabilidade e conforto, além de aumentar a durabilidade. No entanto, é preciso colocar a pressão correta, pois pneus com muita pressão deixam a moto muito dura. Já se estiverem murchos, desgastam mais rápido. Além disso, pneus bem calibrados ajudam a economizar combustível, pois com eles murchos a moto ficará mais “pesada” para o motor.

A pressão correta para os pneus de sua moto você também encontra no manual do proprietário. Outro cuidado importante em relação à calibragem é a frequência. Tenha o hábito de calibrar os pneus a cada 15 dias ou 1000 km, o que ocorrer primeiro.

5. ACERTE AS SUSPENSÕES

Não pense que as suspensões devem preocupar só quem anda por estradas esburacadas ou curte trilhas off-road. Mesmo na cidade, uma suspensão com problemas ou mal-ajustada prejudica muito a pilotagem e pode abrir caminho para acidentes graves. Além disso, o conforto está de mãos dadas com a eficiência do conjunto de amortecedores.

Mesmo não sendo tão difícil fazer a regulagem, normalmente é melhor ir a uma concessionária. O ajuste é feito por meio do parafuso de compreensão e à porca principal. Na parte traseira, essas peças ficam na região de cima do amortecedor. Na roda dianteira, a compressão pode ficar em cima do garfo de suspensão e o parafuso do retorno embaixo.

6. RESPEITE A CAPACIDADE DA MOTO

Não é preciso ser mecânico de motos para saber que cada moto possui um limite de carga para trafegar. Essa informação está no manual ou em um adesivo no chassi. Ir além desse peso vai obrigar o motor a trabalhar em alta rotação. Isso aumenta o consumo, prejudica o rendimento do lubrificante e força as peças internas.

7. VERIFIQUE A FUNCIONALIDADE DOS CABOS

Uma dica básica de mecânica de motos é cuidar dos cabos. Em uma motocicleta, normalmente existem 3 cabos: do acelerador, da embreagem e dos freios. Eles são fáceis de serem localizados, pois estão posicionados próximos dos respectivos dispositivos.

Adote o hábito de verificar regularmente o estado de conservação desses cabos, pois o rompimento de um deles com a moto em movimento pode resultar em um acidente. Para aumentar a vida útil deles, a recomendação é mantê-los lubrificados e regulados.

Para lubrificar, prefira os lubrificantes em spray, que alcançam mais fácil toda a extensão do cabo. Já para a regulagem, utilize os ajustadores que costumam ficar nas extremidades dos cabos.

8. CONFIRA O ESTADO DA CORRENTE

A corrente é fundamental para uma pilotagem segura, pois ela é uma das peças responsáveis por fazer chegar a força do motor às rodas. Caso haja algum problema com a corrente, pode ocorrer o travamento da roda ou a perda da aceleração.

Para isso não ocorrer, mantenha a corrente da moto sem folgas exageradas e bem lubrificada. Quanto à lubrificação, algumas pessoas podem sugerir aproveitar o óleo velho do motor para lubrificar a corrente. Não faça isso, pois esse não é o lubrificante adequado. Além de não atingir o seu objetivo, ainda vai sujar a sua moto e a sua roupa.

O ideal é utilizar uma fina camada de graxa específica para a transmissão de motos. Além de deixar a corrente lubrificada, protegerá contra a ação de agentes oxidantes. A recomendação é fazer a lubrificação a cada 1000 km ou menos.

Em relação à tensão da corrente, ela não pode estar muito frouxa, correndo o risco de se soltar, nem muito esticada, a ponto de se romper conforme a suspensão traseira se movimente. Normalmente, no chassi ou na suspensão traseira há um adesivo informando a tensão adequada da corrente.

Essa informação também está no manual. Caso esteja fora do recomendado, é sinal de que você precisa procurar a concessionária para efetuar a regulagem da corrente.

9. CUIDE DOS FREIOS

Para conduzir a sua motocicleta sempre em segurança, é fundamental manter os freios em ordem. Dessa forma, você terá a confiança de que a sua moto freará corretamente quando necessário. Para verificá-los, não precisa de grandes conhecimentos em mecânica de motos.

Caso a sua motocicleta tenha freios a disco, saiba que é muito fácil visualizar as pastilhas e discos, pois eles ficam expostos. Confira se não estão muito desgastados ou empenados. Caso a pastilha esteja já no final, providencie a troca, antes que comprometa também o disco. Aproveite para conferir o fluido de freio.

Já nas motocicletas que são equipadas com freios a tambor, fica um pouco mais difícil de verificar o estado das lonas. Eles devem ser desmontados para serem analisados. No entanto, existem alguns sinais de que está na hora de procurar a concessionária para uma verificação.

Sendo assim, fique atento se o pedal do freio traseiro está mais baixo que o normal. Além disso, o manete do freio dianteiro pode parecer meio mole. Para completar, repare se há ruído anormal ao frear. Caso a sua motocicleta esteja com algum desses sinais, provavelmente as lonas estão gastas.

10. VERIFIQUE OS PARAFUSOS

Mesmo que você não tenha as chaves necessárias para apertar os parafusos da moto, é importante verificar se está tudo certo. A alta vibração do tráfego por calçamentos e buracos pode folgar os parafusos e até fazer com que alguns deles caiam no chão. Alguns deles, como os da carenagem, podem ser apertados por ferramentas comuns como chaves de fenda. Outros requerem chaves mais específicas.

11. LAVE A MOTO E OS SEUS COMPONENTES

Além de deixar a moto apresentável e bonita, a limpeza facilita na manutenção. Isso porque ela pode ajudar a perceber vazamentos, trincas e a conservar a lubrificação das partes externas.

Se colocar a moto em um posto de lavagem procure saber quais os produtos que serão usados para que a lavagem não seja apenas rápida, mas também inofensiva para as partes metálicas e plásticas da moto. Principalmente após viagens, é importante fazer uma lavagem caprichada. Lama, poeira e maresia podem prejudicar bastante a mecânica da moto.

Essas foram as principais dicas para manter a sua motocicleta em ordem sem a necessidade de recorrer sempre a uma mecânica de motos. Você viu que basta ter atenção aos sinais de desgaste que a moto apresenta com o uso, sem precisar de ferramentas ou conhecimento técnico.

Para completar, não deixe de cumprir o plano de manutenção sugerido pela montadora, fazendo as revisões periódicas. Isso aumenta a durabilidade da motocicleta, diminui os gastos com manutenções corretivas, garante a segurança na condução, além de evitar multas por condições inadequadas de dispositivos obrigatórios.

Por outro lado, se acha que já está na hora de trocar a sua motocicleta por outro modelo mais novo e, assim, evitar gastos com manutenção, veja agora qual o melhor momento e as melhores formas de realizar a troca!

Leave a Reply

Your email address will not be published.